Conversão e Novo Nascimento.

Enquanto a maioria cristã está voltada para os conhecimentos doutrinários apostólicos, a IURD se preocupa em conduzir as pessoas à plenitude da vida prometida, através do novo nascimento. Há quem busque de Deus apenas soluções de problemas circunstanciais, assim como há os interessados em muito, muito mais do que soluções. O primeiro busca as bênçãos, enquanto que os outros buscam intimidade com o Abençoador.
Ao primeiro, o Senhor Jesus diz: “Marta! Marta! Andas inquieta e te preocupas com muitas cousas. Entretanto, pouco é necessário ou mesmo uma só cousa; Maria, pois, escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada.” (Lucas 10.41,42). Os inquietos e preocupados com muitas coisas são como os que correm atrás do vento.
É até natural e compreensível isto ocorrer com os neófitos ou oriundos de religiões pagãs, mas não com os do tipo de Marta, pessoas antigas no Evangelho, hábeis no manuseio da Bíblia, participantes da Santa Ceia, porém inertes no exercício da fé cristã.
O grande problema dessa gente é que acaba se tornando um Nicodemos da vida, isto é, um mestre nos conhecimentos bíblicos e nas tradições, mas nunca um nascido de novo. A pergunta é: Por que uma pessoa, há tantos anos na Igreja, cheia de conhecimentos bíblicos e até participante ativo na obra de Deus, ainda não é nascida do Espírito Santo? A verdade é que as pessoas têm confundido religiosidade, conversão e novo nascimento.
Religiosidade é a parte do diabo, conversão é a parte do ser humano e novo nascimento é a parte de Deus. Na conversão, a pessoa abandona os maus hábitos, tais como: inimizades, mentiras, adultérios, prostituições, roubos, feitiçarias, idolatrias, ciúmes, iras, discórdias, invejas, bebedices, glutonarias, vícios, enfim, todas as obras da carne para viver uma vida dependente de Deus. É fácil? Não! Mas não é impossível! Porque Deus jamais pede algo que não se possa fazer.
E quando se tem realmente interesse numa qualidade de vida superior, a pessoa faz qualquer sacrifício. Enquanto Marta se preocupava em corresponder a sua condição de boa dona de casa, Maria quedava-se aos pés do Senhor Jesus. “Convertei-vos agora, cada um do seu mau caminho e da maldade das suas ações, e habitai na terra que o Senhor vos deu e a vossos pais, desde os tempos antigos e para sempre.” (Jeremias 25.5).
A partir do momento em que a pessoa se esforça na mudança de comportamento, o Espírito de Deus entra em ação e faz acontecer o novo nascimento. E uma vez nascida de novo, ela deixa a condição de perseguidora das bênçãos para ser a própria bênção. Ou seja: ela deixa de ser lua, isto é, dependente da luz do sol para ser o próprio sol.
Esta é a verdadeira vontade de Deus para Seus filhos! O Senhor Jesus mostrou isto claramente, quando disse: “Vós sois a luz do mundo.” (Mateus 5.14). A luz cuja fonte vem do Trono do Altíssimo.
Será que você, internauta amigo, tem sido a luz do mundo? Caso sua resposta seja negativa, saiba que o responsável tem sido você mesmo. Você ainda não se converteu dos seus maus caminhos. Talvez tenha deixado parte deles, mas não totalmente! E isto tem sido a razão por que o Espírito Santo não pôde ainda gerá-lo numa nova criatura!
Talvez você tenha se convertido apenas a uma religião, mas não de comportamento. Se pensa que seus dízimos e ofertas podem adquirir o novo nascimento, você está perfeitamente enganado. Antes de acontecer o novo nascimento tem de haver, primeiro, a conversão ou a mudança de comportamento da pessoa. É como o casamento: quando se casa com alguém, há mudança de vida. Cada um tem de se adaptar ao outro e procurar fazer a sua vontade.
Quando a pessoa aceita Jesus como Senhor ou a Ele se converte, ela tem de obedecer a Sua Palavra e viver de acordo com ela. Do contrário, é impossível o relacionamento. E somente depois da conversão, o Espírito Santo opera o novo nascimento.

Nenhum comentário:

 
©2009 Elke di Barros Por Templates e Acessorios