A Pegunta que não deve ser calada...



Há uns anos atrás, quando era ainda mais ingênua do que sou hoje, uma amiga íntima me pediu conselho em como lidar com uma outra amiga que a estava atormentando com reclamações por causa das muitas horas que trabalhava no escritório. Eu fui curta e direto ao ponto, como sempre. Eu disse pra ela lhe dar um fora. Não eu não sou tão meiga como você imaginava. Às vezes é preciso dar um fora pra que haja ‘o fim’ da história.

Como você já pode imaginar, as coisas não tiveram um ‘final feliz’. Minha amiga falou pra sua amiga que eu disse pra ela lhe dar um fora. E como já é de se esperar, a amiga dela ficou com mágoa de mim e começou a falar mal de mim pra todo mundo. No início, eu senti que havia algo de errado no ar, mas não conseguia descobrir o quê, e não muito tempo depois, a bomba caiu no meu colo.
Desentendimentos são como o ar que respiramos. Existe em todo lugar, com todo mundo, a toda hora. Eles levam a muitas consequências infelizes, algumas piores que outras, e algumas até irreversíveis. Mas você já pensou o quão fácil seria se as pessoas tivessem certeza antes de tirarem conclusões precipitadas? Por exemplo, se a amiga da minha amiga tivesse vindo até mim e perguntado o porque que o meu conselho foi dar um fora, eu diria a verdade… a verdade que a sua amiga não teve coragem de dizer. Mas ao invés disso, ela guardou uma mágoa.
Existem tantos problemas entre amigos, parentes, e cônjuges exclusivamente por causa disso. Não deixe com que o tempo consuma você ou seus relacionamentos, seja mais esperta, pergunte.

(Por Cristiane C.)



Fé em Evolução


De acordo com a Teoria da Evolução, todas as espécies animais e vegetais que existem na Terra são mutáveis. Isso leva alguns cientistas a crer que as espécies sofrem algum tipo de transformação (mutação), conforme o passar dos séculos.

Informações recentes atestam que 98,4% dos genes humanos partilham com os dos chipanzés. Entretanto, os próprios cientistas sabem que é preciso muito menos de 1% dos genes humanos para que sejam extraordinariamente diferentes dos chipanzés. Daí, podemos continuar refutando Darwin, dizendo que o “elo perdido” continua perdido, ou seja, a teoria da evolução continua sendo apenas uma teoria.

Do ponto de vista bíblico, a Teoria Evolucionista confronta a Palavra de Deus, visto que é pela fé que entendemos que o universo foi formado pela Palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem (Hebreus 11:3). Obviamente, para entender isso é necessário uma revelação da fé Divina.

Quer dizer, se concordarmos com a ideia de que um ser passou a adquirir um pulmão pela necessidade que tinha de respirar, estamos, com isto, limitando o poder de Deus em Sua criação. Como Ele poderia criar algo que precisasse passar por uma modificação após milhares de anos? Isso seria incoerente.

Os verdadeiros cristãos não precisam, e muito menos dependem, de teorias para sustentar a fé. Esta, ao contrário, é sustentada pelo cumprimento das Escrituras Sagradas ao longo da história. Teorias não passam de palavras e especulações que há anos existem para tentar provar algo que é improvável.

Entre acreditar em palavras teóricas e acreditar na Palavra de Deus, a qual tem sido viva, eficaz e pode ser comprovada na vida daqueles que Nela creem, prefiro a segunda opção.

Se há algo que pode e deve estar sempre em evolução, é a fé cristã, para que não haja conformação com este mundo, mas sim, haja transformação de vida. Salvo se há interesse em ser parente do chipanzé. Mas isso fica a critério de cada um.

A Mulher de Deus


MULHER DE DEUS

Ela é pura e sincera
É fiel, inteligente mulher de Deus
Ela é simples como a pomba
A mulher de Deus
Ela sabe a hora certa de falar
Quando diz, não diz os pensamentos seus,
Pois a sua instrução vem lá do céu
para a mulher de Deus
Mulher de Deus
Lado a lado a um grande homem ela está
A rainha, conselheira, mãe do lar
Com carinho cuida do que Deus lhe deu
Mulher de Deus
Foi criada de uma costela sem valor
mas foi feita pelas próprias mãos do Senhor
ela é doce auxiliar mulher de Deus
Ela com sabedoria
Edifica sua casa, mulher de Deus
Ela confiantemente, espera no Senhor
A mulher de Deus
Tem o brilho de Jesus no seu olhar
Quase nunca aparece ninguém vê Ela age como Ester
Um exemplo de mulher
Mulher de Deus...

Mensagem do Bispo Macedo - Revelação (Reunião dia 25/09/2009)

Quando Deus nos chamou, não foi para fazer uma obra igual às das demais igrejas. Qual é a estratégia do diabo? Ele sabe que não pode vencer os filhos de Deus, porque não pode tocá-los. Então, pensa: “O que posso fazer para neutralizar o pensamento deles e reverter essa situação? Eles ganham almas, são agressivos, crêem no que pregam, enfim, têm sucesso, ganham os nossos filhos, nós perdemos com eles. O que fazer neutralizá-los?” É aí que entra o trabalho religioso, no qual a fé fica de lado e as almas deixam de ser arrancadas do inferno.
O trabalho evangelístico que agrada a Deus tem por objetivo ganhar almas, enquanto o social tende a neutralizá-lo. Por isso, é preciso ter cuidado. Devemos estender as mãos aos pobres e necessitados, mas sem esquecer que precisamos salvar essas almas. O amor representa os frutos; e a fé, o evangelismo. O trabalho tem que seguir sempre nessa linha. Não pode ser só um ou outro.
Quando Deus chamou Abraão, não disse o Seu nome para ele. Falou: “Sai da tua terra.” Aquela palavra convenceu a Abraão. Ele não perguntou: “Quem está falando comigo?”. Mas com Moisés, que era homem letrado, foi diferente. Quando Deus o chamou no Monte Sinai, ele perguntou: “Quem é o Senhor? Quem está me mandando?”. Deus disse: “Eu Sou o que Sou”. Essa frase os judeus chamam de JHVH, que não tem vogal e não pode ser pronunciada. Ela identifica a autossuficiência de Deus, pois Ele não foi criado. Simplesmente é. Mas, há muitos séculos, um monge católico vendo essas letras JHVH colocou três vogais, formando Jeová, palavra que não aceitamos. Há uma Bíblia espanhola que omite essa palavra. Alguém já sentiu que é furada, até porque há as testemunhas de Jeová que não crêem em Jesus.
Quando o anjo apareceu para José e lhe disse: “Não temas receber a sua esposa Maria, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo; ela dará à luz um filho e chamarás o seu nome de Jesus...”, vemos que o nome veio dado pelo anjo. Foi revelado o nome de Deus, mas, com o decorrer dos anos, ficou desvalorizado, vulgarizado. Quando você manda o diabo embora em nome de Jesus, ele obedece não porque você é especial, mas porque o nome de Jesus foi pronunciado com fé. Aí funciona. Infelizmente, a igreja poderosa deu lugar a uma igreja enfraquecida, fragilizada, por causa do uso excessivo do nome de Jesus. Isso é religiosidade: pegar uma coisa poderosa e a tornar vulgar, por ser utilizada muitas vezes.
O nome de Jesus foi revelado para exorcizarmos a Sua igreja depende de nós, da decisão de não usarmos o nome de Deus em vão, por isso começaremos a trabalhar de forma diferenciada. Muitos vão parar para ouvi-lo com atenção. (Sabe o que aconteceu comigo? Fui liberto, casei,tenho uma família. E foi tudo de graça). Você não falou da Bíblia, do nome de Jesus, de versículos, da Igreja Universal. Mas irá falar: “ Eu fui ao Centro de Ajuda, aqui é o endereço, ‘tá’ aqui o cartão. “E eles vão pegar o cartão. Porém, se falar: “Tenho uma palavra, a Bíblia...” ninguém vai ouvi-lo e ainda irá chamá-lo de fanático.
É preciso abrir a mente e desenvolver a fé para essa visão, a fim de sair do plano religioso para o plano atualizado, que é o que faz a diferença. Por isso Deus chamou Paulo. Ele perseguia a igreja, mas ao ter um encontro com Jesus, Deus o usou para alcançar os gentios, porque aquela turma de 12 ( os discípulos) estava toda amarrada a uma coisa chamada fermento dos fariseus, ao judaísmo, ao tradicionalismo. Lembra-se da visão de Pedro, que viu o lençol cheio de animais e disse que não iria comer porque era coisa imunda? Ele estava com a mente religiosa, embora tivesse o Espírito Santo. E Deus disse que não poderia usá-lo, por isso levantou Paulo.
Se você tiver visão espiritual e o Espírito de Deus, vai arrebentar! É o Espírito Santo quem confirma o que estou falando. Esta é uma revelação para nós pararmos de usar a linguagem bíblica e religiosa, mesmo na igreja. Jesus disse: “O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados” (Is 61.1). Quando usar o nome de Jesus é para passar a guilhotina no diabo no diabo. Temos que usar o nome de Jesus na hora certa. O diabo treme por causa dele. Por isso, isso, queriam matar Jesus. Se Ele morresse e não ressuscitasse, acabaria o Seu nome. Mas porque Jesus ressuscitou o Seu nome prevalece. Não tem inferno, nada neste mundo que possa resistir-lhe. Quando você usar o nome de Jesus com autoridade, pode ter certeza da vitória, porque ele diz tudo, insere os Seus méritos, sacrifícios e tudo o que Ele fez. Essa é a nossa herança e riqueza: o nome de Jesus.

A Fúria de Baal

Este é um e-mail enviado ao Bp. Macedo por um Pr. que está atualmente na Argentina,contando o seu testemunho......Leiam é muito forte vale a pena conferir!

Olá Bispo,
Sou o pastor Marcelo, que estava em Nicarágua, e, atualmente, me encontro na Argentina, esperando os documentos para voltar aos Estados Unidos. Esta semana estive relatando ao Bispo Romualdo o meu testemunho de quando estive preso no México, e ele me pediu que o enviasse para o senhor.
Em 1998, a Igreja Universal do Reino de Deus estava tendo um crescimento no México, o qual chamou a atenção dos religiosos da época, como sempre acontece nos países onde a IURD já se faz presente. Quiseram frear o crescimento e desenvolvimento da igreja. Estávamos em uma vigília de oração na Sede, eu havia aberto um propósito de jejum de 24 horas numa sexta-feira pela libertação do povo, o qual seria entregue o jejum ao término da vigília. O que ninguém esperava era que, nessa vigília, ocorreu uma verdadeira perseguição aos pastores da nossa igreja.
No intervalo, por volta das 4h, cerca de 30 oficiais de imigração que estavam infiltrados no meio do povo dentro da igreja, trataram de prender-nos, dando, inclusive, chave de braço em alguns pastores.
Conseguimos escapar, graças à intervenção do povo que nos apoiou em todo o momento. Como o número de participantes era de aproximadamente 3 mil pessoas, tornou-se difícil realizar tal ato dentro da igreja, assim nós pastores buscamos a maneira de fugir. Alguns subiram no teto e se esconderam na caixa d’água. Teve um pastor que se enrolou em um pano e entrou na estrutura abaixo do altar, outros conseguiram pular o muro e fugir pelo teto dos vizinhos e pelo estacionamento. Eu, por exemplo, saí com outros pastores junto à multidão presente na vigília. Os oficiais haviam formado um cordão humano que cercava toda a Sede, mas com a ajuda do povo que os separavam, conseguimos passar por eles sem que pudessem nos deter. Eu já havia cruzado a avenida e estava praticamente livre da confusão, quando um membro da IURD em voz alta me chamou, fato que chamou a atenção de alguns oficiais, que em questão de minutos estavam atrás de mim e me prenderam. Fui o único a ser preso, todos os demais pastores e esposas conseguiram escapar.
O mais contraditório de tudo é que estávamos com nossos documentos em mãos. O que não sabíamos é que as autoridades haviam conseguido um meio de invalidar nossa estância legal naquele país, fato que só viemos a saber naquela madrugada, quando não havia como resolver, pois isso já era 4h de sábado.
É o que sempre temos visto desde a época do Senhor Jesus e os apóstolos até os dias de hoje na história da IURD. Quando o trabalho começa a desenvolver, incomodamos os RELIGIOSOS que, insatisfeitos, tramam meios e se armam de artimanhas, buscando qualquer motivo para impedir o nosso crescimento.
Depois que me prenderam, me colocaram em um camburão onde estive por 4 horas. Durante o percurso, tentaram encontrar os outros pastores e esposas que haviam escapado. Neste lapso de tempo, entrou um oficial, sentou-se ao meu lado e me insultou chamando-me de ladrão, estafador, mercenário etc…Ele estava muito alterado. O objetivo, sem dúvida, era de prender todos os pastores, mas as coisas não saíram como haviam planejado. Revoltado, esse oficial me disse: “Bom, deixa de conversa…” Em seguida, ele sacou a arma e começou a limpar lentamente e perguntou: “Onde estão os seus companheiros?”
Eu respondi: “Eu não sei; ainda que soubesse jamais lhe diria.”
Ele, por sua vez, tratou de fazer uma pressão psicológica em mim com aquela arma na mão. Ao perceber a sua intenção, olhei firme em seus olhos e disse: “Meu amigo, deixe-me dizer uma coisa. Eu não tenho medo da morte e nem de morrer, pois eu já morri há muito tempo. Esse oficial então se levantou muito chateado e me transferiu do camburão para um ônibus, cheio de grades, onde permaneci sentado por um período de dez minutos. De repente, dois oficiais entraram, um homem e uma mulher, se aproximaram de mim, fumando, retiraram meus documentos e do nada esbravejaram: “EU TENHO NOJO DE VOCE, SEU CARECA NOJENTO… EU SOU O DIABO, TIRA O DIABO DE MIM!” Logo depois, esses oficiais começaram a rir.
Quando nos retiramos do local, confesso que fiquei preocupado, porque andamos por volta de uma hora e meia por lugares desertos. Por um momento pensei que iriam me matar. O que eu não sabia era que o edifício de imigração ficava bem longe da cidade. Ao chegar, me apresentaram a um oficial, que era advogado da imigração. No momento da entrevista, ele me pressionou várias vezes, querendo que eu afirmasse que tinha bens em meu nome. Na verdade, senti que eles estavam buscando alguma coisa, ou algum motivo, para acusar e desacreditar a IURD no México.
Sabe Bispo, neste momento me lembrei do que disse o Senhor Jesus: que seríamos levados diante dos governadores e autoridades, mas que não deveríamos nos preocupar como respondê-los, pois o Espírito Santo nos daria a direção.
Nessa prisão, todas as pessoas de mesma nacionalidade ficam na mesma cela. Eu não fui colocado na cela junto com os outros brasileiros, pelo contrário, me colocaram numa separada que não havia luz, nem água.
No domingo, o dia mais esperado pelo pastor, lá estava eu, preso fisicamente, mas o meu espírito livre. Não aceitei estar naquele lugar sem poder ministrar a benção de Deus na vida das pessoas que sofrem. Então, no próprio pátio, consegui reunir 20 rapazes e fiz uma reunião de 25 minutos. Me senti muito feliz independentemente de tudo o que estava acontecendo, porque tinha certeza que Deus estava comigo para ajudar aqueles rapazes. Estive naquela prisão por sete dias sem me banhar, somente com a roupa do corpo, comendo apenas “tortilla” e ovo. Quando eu dizia que tinha sede, riam de mim e me mandavam calar a boca.
Depois desse período, decidiram então me deportar para o Brasil. Quando eu estava saindo, algum dos prisioneiros agarrou na minha mão e a colocou sobre sua cabeça e me pediam para não parar de orar por eles. Me levaram para o aeroporto, sujo e fedorento, e escoltado pelos oficiais. No avião, o rádio de um dos oficiais tocou e pediram que me retirasse do avião urgentemente. Aí estava a resposta que eu estava esperando.
Um Juiz mexicano havia expedido, horas antes, um amparo judicial a todos nós pastores, para que tivéssemos tempo de resolver legalmente toda essa armação, já que tínhamos direitos legais de estar no país livremente.
Com tal ordem, foram obrigados a me tirarem do avião e me soltar. Depois de um bom banho, pude continuar com a missão que o meu Senhor me deu, de ir por todo o mundo e pregar o Evangelho a toda criatura.
E ainda que os RELIGIOSOS tentam nos calar ou nos parar, nada pode deter os que são da fé.
Obs.: Em 1998, tínhamos no México aproximadamente 25 IURDs. Atualmente, já são mais de cem e vamos inaugurar muito mais.

Mais uma das Organizações Globo – II


Leia as perguntas feitas por Mariana Sanches, repórter da revista Época – Editora Globo, à

Igreja Universal do Reino de Deus, com suas respectivas respostas:

1- A Igreja Universal confirma os vínculos e contatos com Gustavo Alves da Rocha?

R: O Gustavo Alves da Rocha foi pastor da Igreja Universal. Ele foi desligado da obra por motivos de prática de conduta contrária aos bons costumes e a moral, que não condizem com a vocação de pastor.

2- Gustavo afirma que o Bispo Edir Macedo instrui seus pastores a fazerem vasectomia, mesmo aqueles que são jovens e sem filhos. É verdade?

R: Em hipótese alguma há qualquer orientação neste sentido, até mesmo porque há inúmeros pastores que têm filhos recém-nascidos, ou seja, não fizeram vasectomia, consequentemente, não tem como se falar que eles são orientados ou obrigados a fazerem vasectomia. Isto é uma livre escolha da própria pessoa e, especialmente, do casal.
Para espancar esta mentira, sugerimos que vocês entrevistem outros pastores que têm filhos biológicos, pois não optaram pela vasectomia, vez que então desmistificará estas inverdades faladas por Gustavo Alves da Rocha.
Contudo, este Gustavo, por opção sua e de sua esposa, à época, fizeram vasectomia nos EUA. Inclusive a cirurgia não foi bem-sucedida, de modo que o mesmo processou o médico e o hospital, ganhando uma indenização de cerca de USS 70.000,00. Mas, isto ele não comenta, pois não lhe convém.

3- Gustavo disse que morou por três anos na casa de Edir Macedo em Nova York. É verdade?

R: Jamais morou na residência do Bispo Edir Macedo.

4- Gustavo afirma que, como pastor da igreja em Nova York, chegou a trabalhar como motorista para a Record, buscando no aeroporto funcionários da emissora, como Adriane Galisteu e Paulo Henrique Amorim. É verdade?

R: Não, é mais uma mentira e a Rede Record tem seu quadro próprio de funcionários, entre eles motoristas. E os pastores da Universal exercem sua vocação somente na Igreja Universal.

5- Gustavo afirma que os bispos Clodomir Santos e Romualdo Panceiro costumavam trocar dólares em São Paulo para o Bispo Macedo, e que eram os responsáveis por transferir dinheiro das contas da Igreja Universal para a da Rede Record. É verdade?

R: É a mentira mais deslavada que já se ouviu. Pois a Igreja Universal, seus bispos e pastores fazem tudo dentro da maior legalidade.
Com relação à IURD e à Rede Record, o único vínculo existente entre elas é o comercial, por conta da locação de espaço televisivo, o que é devidamente pago e contabillizado por ambas as pessoas jurídicas, não tendo que se falar em qualquer ilicitude neta relação jurídica.

6- Gustavo afirma que o Bispo Edir Macedo e o Bispo Honorilton Gonçalves frequentemente conversavam por rádio sobre os investimentos na Record. Segundo Gustavo, em 2003, foi feita uma campanha das Muralhas de Jericó para arrecadar US$ 1 milhão necessários para a compra de aparelhos para o estúdio da Record em Nova York. É verdade?

R: Totalmente inverídico, como já foi dito – Record e Igreja Universal são pessoas jurídicas distintas. O único vínculo que as une é comercial, pois a IURD compra espaços em sua grade de programação. E qualquer outra informação sobre a Rede Record deve ser solicitada diretamente a ela.

7- Gustavo afirma que foi instruído pelo bispo Edir Macedo em estratégias para ludibriar os fiéis. Em uma delas, comprava no supermercado óleo de cozinha e dizia aos fiéis que era o azeite abençoado da Terra Santa. É verdade?

R: A Igreja Universal não trabalha com estratégias e sim com fé. A Bíblia é o seu alicerce. A IURD tem seu ritual litúrgico e dentro dele existem as simbologias, entre as quais está inserido o azeite, que uma vez consagrado é distribuído aos fiéis.

8- Gustavo afirma que passou 15 dias na casa do Bispo João Batista em 2001, logo depois de se casar com a empregada doméstica do Bispo Edir Macedo, Jacira Aparecida da Silva. Diz que foi João Batista quem pagou a cerimônia de casamento e a viagem de lua-de-mel para Poços de Caldas. Gustavo disse que João Batista costumava trocar dólares para o Bispo Macedo em São Paulo.

R: A senhora Jacira Aparecida da Silva nunca foi empregada do Bispo Edir Macedo.
O Bispo João Batista Ramos da Silva jamais pagou qualquer viagem de lua-de-mel ou o casamento do Gustavo Alves da Rocha.
Não existe nenhuma conduta ilícita praticada pelos pastores ou bispos da Igreja Universal, remetendo-se a resposta de número 5.

9- Gustavo diz que foi constrangido pelo bispo Edir Macedo a se casar com Jacira. É verdade?

R: Ninguém se casa forçado. E, sim, por amor. Como dito anteriormente, a senhora Jacira nunca trabalhou para o Bispo Edir Macedo.

10- Gustavo afirma que, de volta ao Brasil, foi procurado pelo Bispo Delmar Macedo em duas ocasiões em 2004, logo depois de iniciar um processo contra a Igreja. Diz que o Bispo Delmar recomendou que ele retirasse o processo senão seria prejudicado. Isso aconteceu?

R: Nunca a Igreja Universal foi processada por Gustavo Alves da Rocha.

Cinthia Meibach

Assessoria de Imprensa

Igreja Universal do Reino de Deus

Mais uma das Organizações Globo – I


E-mail enviado por reporter das Organizações Globo à TV Record :

Essa semana vamos publicar uma reportagem de um rapaz que se diz ex-pastor da Igreja Universal em Nova York. O nome dele é Gustavo Rocha.

Em dado momento da entrevista ele me disse que salários de artistas e jornalistas da Rede Record eram pagos com dinheiro sacado das contas da Igreja Universal e que por vezes esse pagamento era feito em dinheiro. Gustavo disse também que a montagem do estúdio da Rede Record em Nova York só foi possível porque a Igreja Universal em Nova York fez uma campanha junto aos fiéis para levantar US$ 1 milhão necessários para as instalações. Segundo ele as negociações aconteciam entre o Bispo Edir Macedo e o Bispo Honorilton Gonçalves.

- Gostaria de saber se essas informações são verdadeiras e se a direção da emissora gostaria de dar uma resposta sobre o assunto.

- A reportagem será fechada amanhã, às 13 horas.

- Fico aguardando seu retorno.

Um abraço e obrigada,

Mariana Sanches

Repórter – Revista Época – Editora Globo

Resposta da Tv Record:

Em resposta ao seu pedido temos a esclarecer:

- Todos os salários dos funcionários da Rede Record são pagos pela emissora em conta corrente dos beneficiários.

- As instalações de Nova York fazem parte dos investimentos da Rede Record e todos esses investimentos são pagos pela emissora com recursos próprios.

- A Record é a rede de televisão que mais cresceu nos últimos anos sendo, atualmente, a vice-lider inconteste em audiência e faturamento e busca ser a primeira.

Celso Teixeira

Assessoria de Imprensa

Rede Record
 
©2009 Elke di Barros Por Templates e Acessorios