Cuide dos seus Filhos...Deus Agradece!

Numa favela do Rio de Janeiro (Mas poderia ser em qualquer estado do Brasil ou em qualquer lugar do planeta)

TRAFICANTE: Fala aê mermão...

VICIADO: Me arruma um pó de cinqüenta.

TRAFICANTE: Segura aê...Sangue bão!

VICIADO: Valeu cumpadi...até mais...

TRAFICANTE: Aê mano! O pó tá acabando... mas amanhã a gente vai invadir o morro ali do lado. Vamú tomá as boca e ficá cus bagulho...Vamú arregaçá geral, tá ligado?

VICIADO: Já é. Demorô.... invade mermo... domina geral...Se entrar na frente mete bala de "AK".

TRAFICANTE: Valeu, "preibóy"... É nois na fita...Vamú quebrá junto e misturado.

(no outro dia, de manhã, na casa do viciado)

- Bom dia meu filho... que cara é essa...??

- Nada, mãe...pô desgruda...tô legal

- Você está bem mesmo filho?

- Tô bem, pô!! Que saco...me deixa em paz...merda. (a essa altura, o filho ainda drogado se tranca no quarto. A mãe preocupada bate da porta...)

- Meu filho... estou indo pro trabalho... deixei seu café pronto, um beijo, fique com Deus filhinho...qualquer coisa telefona, tá?

- Não enche... vai logo... (a mãe pega o carro e se dirige ao trabalho, quando de repente em uma rua qualquer....)

- Paraê Tia... perdeu... perdeu...Sai... Sai... Sai...(em desespero a pobre mulher tenta fugir e arranca com o carro e aí uma rajada de tiros acontece...) (poucos minutos depois, na casa do viciado, o telefone toca)

- Alô!

- Quem fala?

- Quer fala com quem?

- Aqui é o Tenente Alberto, eu poderia falar com algum parente da Sra Rita?

- Po...polícia?? (o viciado, com medo, desliga o telefone sem ouvir o policial. Toma café, liga a TV, remexe o armário da mâe em busca de dinheiro e, minutos depois, sai de casa pra comprar mais pó. Logo a frente avista um tumulto e se aproxima. Aí tem uma visão terrível...)

- Mãeeeeeeeeeeee !!! Não! Não! Como isso pode acontecer?

O Tenente Alberto consola o rapaz:

- Sinto muito, filho, traficantes tentaram roubar o carro de sua mãe pra invadir um morro... ela tentou fugir e eles a mataram.

- Mãeeeeee! Nãããããão....Ah! Meu Deus!

Mais um vida ceifada pela violência que une a doença à vagabundagem e que retrata a atual realidade do mundo.Se você conhece algum dependente químico (o que não é nem impossível e nem muito difícil) mostre este relato a ele e diga:

"Antes de curtir uma onda nova;Antes de dar um tequinho inocente; Antes de fumar um bagulhinho natural; Antes de dar dinheiro ao tráfico para que eles comprem um arsenal e matem alguém que você realmente gosta, pare e faça algo que você não faz há muito tempo...Pense!"

Isso tudo que está acontecendo, na maioria dos casos, tem origem na desagregação da instituição mais importante da nossa vida: A Família. Cuide do seu filho antes que um traficante o adote. Jamais abandone um dependente químico. Com a sua ajuda, a chance de recuperação, pode chegar a quase 100% e sem a sua ajuda ele será destruido. Envide todos os esforços para salvar um vida. Deus agradece!

Nenhum comentário:

 
©2009 Elke di Barros Por Templates e Acessorios