Mensagem do Bispo Macedo - Revelação (Reunião dia 25/09/2009)

Quando Deus nos chamou, não foi para fazer uma obra igual às das demais igrejas. Qual é a estratégia do diabo? Ele sabe que não pode vencer os filhos de Deus, porque não pode tocá-los. Então, pensa: “O que posso fazer para neutralizar o pensamento deles e reverter essa situação? Eles ganham almas, são agressivos, crêem no que pregam, enfim, têm sucesso, ganham os nossos filhos, nós perdemos com eles. O que fazer neutralizá-los?” É aí que entra o trabalho religioso, no qual a fé fica de lado e as almas deixam de ser arrancadas do inferno.
O trabalho evangelístico que agrada a Deus tem por objetivo ganhar almas, enquanto o social tende a neutralizá-lo. Por isso, é preciso ter cuidado. Devemos estender as mãos aos pobres e necessitados, mas sem esquecer que precisamos salvar essas almas. O amor representa os frutos; e a fé, o evangelismo. O trabalho tem que seguir sempre nessa linha. Não pode ser só um ou outro.
Quando Deus chamou Abraão, não disse o Seu nome para ele. Falou: “Sai da tua terra.” Aquela palavra convenceu a Abraão. Ele não perguntou: “Quem está falando comigo?”. Mas com Moisés, que era homem letrado, foi diferente. Quando Deus o chamou no Monte Sinai, ele perguntou: “Quem é o Senhor? Quem está me mandando?”. Deus disse: “Eu Sou o que Sou”. Essa frase os judeus chamam de JHVH, que não tem vogal e não pode ser pronunciada. Ela identifica a autossuficiência de Deus, pois Ele não foi criado. Simplesmente é. Mas, há muitos séculos, um monge católico vendo essas letras JHVH colocou três vogais, formando Jeová, palavra que não aceitamos. Há uma Bíblia espanhola que omite essa palavra. Alguém já sentiu que é furada, até porque há as testemunhas de Jeová que não crêem em Jesus.
Quando o anjo apareceu para José e lhe disse: “Não temas receber a sua esposa Maria, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo; ela dará à luz um filho e chamarás o seu nome de Jesus...”, vemos que o nome veio dado pelo anjo. Foi revelado o nome de Deus, mas, com o decorrer dos anos, ficou desvalorizado, vulgarizado. Quando você manda o diabo embora em nome de Jesus, ele obedece não porque você é especial, mas porque o nome de Jesus foi pronunciado com fé. Aí funciona. Infelizmente, a igreja poderosa deu lugar a uma igreja enfraquecida, fragilizada, por causa do uso excessivo do nome de Jesus. Isso é religiosidade: pegar uma coisa poderosa e a tornar vulgar, por ser utilizada muitas vezes.
O nome de Jesus foi revelado para exorcizarmos a Sua igreja depende de nós, da decisão de não usarmos o nome de Deus em vão, por isso começaremos a trabalhar de forma diferenciada. Muitos vão parar para ouvi-lo com atenção. (Sabe o que aconteceu comigo? Fui liberto, casei,tenho uma família. E foi tudo de graça). Você não falou da Bíblia, do nome de Jesus, de versículos, da Igreja Universal. Mas irá falar: “ Eu fui ao Centro de Ajuda, aqui é o endereço, ‘tá’ aqui o cartão. “E eles vão pegar o cartão. Porém, se falar: “Tenho uma palavra, a Bíblia...” ninguém vai ouvi-lo e ainda irá chamá-lo de fanático.
É preciso abrir a mente e desenvolver a fé para essa visão, a fim de sair do plano religioso para o plano atualizado, que é o que faz a diferença. Por isso Deus chamou Paulo. Ele perseguia a igreja, mas ao ter um encontro com Jesus, Deus o usou para alcançar os gentios, porque aquela turma de 12 ( os discípulos) estava toda amarrada a uma coisa chamada fermento dos fariseus, ao judaísmo, ao tradicionalismo. Lembra-se da visão de Pedro, que viu o lençol cheio de animais e disse que não iria comer porque era coisa imunda? Ele estava com a mente religiosa, embora tivesse o Espírito Santo. E Deus disse que não poderia usá-lo, por isso levantou Paulo.
Se você tiver visão espiritual e o Espírito de Deus, vai arrebentar! É o Espírito Santo quem confirma o que estou falando. Esta é uma revelação para nós pararmos de usar a linguagem bíblica e religiosa, mesmo na igreja. Jesus disse: “O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados” (Is 61.1). Quando usar o nome de Jesus é para passar a guilhotina no diabo no diabo. Temos que usar o nome de Jesus na hora certa. O diabo treme por causa dele. Por isso, isso, queriam matar Jesus. Se Ele morresse e não ressuscitasse, acabaria o Seu nome. Mas porque Jesus ressuscitou o Seu nome prevalece. Não tem inferno, nada neste mundo que possa resistir-lhe. Quando você usar o nome de Jesus com autoridade, pode ter certeza da vitória, porque ele diz tudo, insere os Seus méritos, sacrifícios e tudo o que Ele fez. Essa é a nossa herança e riqueza: o nome de Jesus.

Nenhum comentário:

 
©2009 Elke di Barros Por Templates e Acessorios